Finalistas do Paulistão, capitãs de Corinthians e São Paulo celebram representatividade no futebol feminino - Gazeta Esportiva
Finalistas do Paulistão, capitãs de Corinthians e São Paulo celebram representatividade no futebol feminino

Finalistas do Paulistão, capitãs de Corinthians e São Paulo celebram representatividade no futebol feminino

Gazeta Esportiva

Por João Pedro Haiter

17/11/2023 às 17:30

São Paulo, SP

Corinthians e São Paulo fazem a grande final do Campeonato Paulista de 2023. Em coletiva de imprensa prévia à decisão, as capitãs de cada equipe, Tamires pelo lado alvinegro e Aline Milene pelo lado tricolor, falaram sobre o crescimento da pressão sobre as jogadoras com a popularização da categoria. Ambas as atletas afirmaram que lidam bem com a situação e celebraram o aumento da representatividade no futebol feminino no Brasil.

"Eu particularmente gosto da pressão quando ela é orgânica, quando ela é positiva no sentido dos torcedores estarem torcendo para o seu time sem a questão do machismo e preconceito, torcendo de forma positiva. Nós sentimos essa pressão gostosa dentro de campo, dá um frio na barriga, queremos dar uma vitória para o nosso torcedor, deixá-lo feliz, sabendo e entendendo o peso da nossa camisa e a do adversário. Então, ter cada vez mais pessoas assistindo, seja nos estádios seja na televisão, isso só nos motiva a querer mais e mais, e ser gratas por onde o futebol feminino chegou no Brasil inteiro", disse Tamires.

"Recebemos muito carinho de crianças, essa representatividade de ser referência para tantas meninas que, assim como nós, sonhou em ser jogadora de futebol e hoje têm a oportunidade muito maior, só nos deixa feliz e querendo fazer o melhor dentro de campo, querendo mostrar para elas que eleas podem acreditar e sonhar. Estamos colocando o futebol feminino juntas, não digo só as atletas, mas quem faz parte dos departamentos, da Federação, da Confederação Brasileira... Tantas pessoas que acreditam realmente no futebol feminino e querem mudar o cenário aqui no Brasil", completou a corintiana.


Capitã do São Paulo cita Copa do Mundo de 2019 como divisora de águas


Aline Milene ainda comentou sobre a importância da Copa do Mundo de 2019 para a categoria no país. Para ela, a competição realizada na França foi um "divisor de águas" para o reconhecimento do futebol feminino no cenário brasileiro.

"É tão importante termos a noção dessa pressão orgânica, quem não gostaria de estar aqui em uma final? Também querer estar em uma sala cheia, com representantes de diversas áreas, de torcidas, da imprensa. A representatividade que trazemos, a arbitragem, que será totalmente feminina, isso é grandioso, vivemos para isso. Nós vivemos para saber que o futebol feminino é uma realidade. Falei que em 2019, a penúltima Copa do Mundo, foi um divisor de águas para o futebol feminino, foi quando a 'chavinha' mudou e viram que o futebol feminino tem valia, tem recurso e um protagonismo em saber ser usado", declarou.




"A gente fica muito feliz estar em um palco de final, vai ser um grande espetáculo para todos. Essa parte da visibilidade gigantesca dada pela mídia, nós nos sentimos muito lisonjeadas de poder fazer parte disso. As crianças, não só meninas, mas também meninos, que veem em nós atletas a oportunidade de tornar o sonho realidade. É trabalhar para que possamos viver isso", finalizou a são-paulina.

O primeiro embate entre Corinthians e São Paulo acontece neste domingo (19), às 16 horas (de Brasília), na Vila Belmiro. Uma semana depois, as equipes fazem a finalíssima no dia 26, a partir das 10h30, na Neo Química Arena. O Timão busca o tetracampeonato - foi campeão em 2019, 2020 e 2021 -, enquanto o Tricolor tenta voltar a levantar o troféu após 24 anos (venceu em 1997 e 1999).

Conteúdo Patrocinado