Através de aplicativo, jogadores terão acesso a estatísticas individuais na Copa

AFP - São Paulo,SP

23/09/22 | 13:59

Os jogadores que irão disputar a Copa do Mundo de 2022 no Catar terão acesso aos seus dados individuais de rendimento após as partidas através de um aplicativo, graças a uma iniciativa para o uso de tecnologia de alto nível na competição, segundo anúncio da Fifa nesta sexta-feira.

O comunicado chega dias após a publicação da Carta de Direitos de Dados de Jogadores pelo sindicato de jogadores FIFPro, que tem sido cada vez mais atuante na garantia de direitos no futebol a nível profissional.

Segundo a Fifa, o aplicativo reunirá os "dados de futebol aprimorados, dados de rendimento físico e de inteligência em campo". A nova tecnologia vai unir a observação por meio de "várias câmeras por todo o campo" às informações dos "mapas de calor por setor", além do trabalho de "analistas de rendimento da Fifa".


Além das análises gerais de cada seleção, os atletas também terão acesso às métricas detalhadas sobre sua intensidade de pressão e piques, zonas de recepção e capacidade de interceptação de passes.

Simon Colosimo, secretário geral adjunto da FIFPro, informou que "os jogadores comunicaram que desejavam ter acesso completo aos seus dados e tirar maior proveito desta coleta".

As estatísticas serão "sincronizadas com o início das partidas para permitir que os jogadores possam revisar, de diferentes ângulos, os momentos-chave de suas performances", afirmou a entidade. Além disso, os atletas também poderão "salvar ou compartilhar" fotos e estatísticas da partida "nas redes sociais ou diretamente do aplicativo".

A instituição mundial testou o novo sistema de análises em tempo real durante a Copa Árabe de 2021 e pretende "maximizar o potencial da tecnologia" no futebol, segundo o diretor de Inovação Tecnológica, Johannes Holzmüller.

Quatro anos após a incorporação do Árbitro Assistente de Vídeo (VAR), o mundial que será disputado no Catar conta com uma inovação que foi planejada para dar mais confiabilidade às decisões dos árbitros, principalmente com "tecnologia semiautomática de impedimento" (SAOT).

Deixe seu comentário