Futebol/Mundial de Clubes

Alario não tem preferência pelo Barça na final: “Só quero ser campeão”

São Paulo , SP
16/12/2015 22:04:47

Em: Futebol, Futebol Internacional, Mundial de Clubes, River Plate
Alario minimiza possível confronto com o Barça e só pensa no título; Gallardo pensa diferente (foto: Kazuhiro Nogi/AFP)
Alario minimiza possível confronto com o Barça e só pensa no título; Gallardo pensa diferente (foto: Kazuhiro Nogi/AFP)

Logo após a conquista da Libertadores, as torcidas de equipes sul-americanas passam a sonhar em enfrentar o campeão europeu no Mundial de Clubes. Mas não é assim que pensa o autor do gol da vitória do River Plate sobre o Sanfrecce Hiroshima na semifinal do torneio. Para o atacante Lucas Alario, tanto faz Barcelona ou Guangzhou Evergrande na decisão, o que importa é levar a taça para o Monumental de Núñez.

“Agora vamos nos concentrar para a decisão. Queremos muito conquistar esse título, é um sonho. O Barcelona ainda tem que jogar sua partida e vencer, como nós fizemos. Se me deixassem escolher (o adversário da final)? Eu escolheria ser campeão. É o que quero”, disse o atleta.

Entre outros tentos importantes, Alario marcou o primeiro gol do River na finalíssima da Libertadores, contra o Tigres-MEX. Ao voltar a balançar as redes nesta quarta, diante da equipe anfitriã do Mundial, tornou-se candidato a herói de uma possível conquista, ao lado do goleiro Barovero, que também teve grande atuação contra os japoneses.

Além do atacante, o meio-campista Carlos Sánchez também preferiu não dar tanta importância ao adversário da final, apesar de admitir que há certa expectativa para o caso de enfrentar o Barcelona.

“Claro que jogar contra o Barcelona é algo ansiado, mas nós pensamos em nossa própria equipe. Estamos felizes com a vaga na final e agora que aconteça o que tiver de acontecer”, comentou o uruguaio, que fará, possivelmente diante do Barça, sua última partida pelo River Plate antes de seguir para o Monterrey, do México.

Já o treinador Marcelo Gallardo adota discurso diferente e admite que sua expectativa é, sim, enfrentar a equipe catalã. Orgulhoso da equipe, apesar do sofrimento para passar do Sanfrecce Hiroshima, o Muñeco, como é conhecido pela torcida, quer ver uma evolução no futebol do time para a final.

“Sinto satisfação pelo dever cumprido de chegar à sonhada final. Me sinto orgulhoso desses jogadores, que não param de nos dar satisfação. E também há a responsabilidade de jogar melhor, temos que ser melhores, encontraremos uma das melhores equipes do mundo na decisão e temos de elevar o nível. Nossa grande expectativa é jogar com o Barcelona, mas é preciso esperar mais um dia”, afirmou, fazendo referência à semi entre Messi e companhia e o time chinês comandado por Felipão, a ser realizada na manhã desta quinta-feira.

O desejo de enfrentar o Barça pode ter origem em uma antiga experiência do treinador. Em 1996, como meio-campista, participou da conquista da Libertadores e ficou na reserva da decisão do título mundial, quando o River Plate perdeu por 1 a 0 para a Juventus de Zidane e Del Piero. Agora, 19 anos depois e novamente à beira do gramado, mas com outra conotação para sua posição, espera escrever uma história diferente.