Futebol/Copa Libertadores

Sem Abel, Felipão, Levir e Renato, Conmebol faz reunião com treinadores da Liberta

São Paulo , SP
19/03/2019 20:58:21

Em: Athletico-PR, Atlético-MG, Cruzeiro, Flamengo, Futebol, Grêmio, Internacional, Libertadores, Palmeiras

Nesta terça-feira, a Conmebol promoveu uma reunião, em sua sede no Paraguai, com os treinadores das equipes que disputam a fase de grupos da Copa Libertadores. O evento contou com baixa adesão dos clubes brasileiros. Apenas os técnicos Mano Menezes, do Cruzeiro e Tiago Nunes, do Athletico-PR compareceram. Odair Hellmann e Renato Gaúcho enviaram auxiliares, enquanto Levir, Felipão e Abel estiveram ausentes e sem representantes.

No evento, os técnicos das equipes sul-americanas tiveram a oportunidade de debater sobre a Libertadores deste ano, o regulamento, além de outros detalhes como o VAR, controle antidoping e assuntos comerciais. O primeiro brasileiro a falar foi Mano Menezes, que analisou a formação dos treinadores e jogadores na América do Sul.

“Buscamos uma formação quase que de maneira individual, baseada nas nossas convicções e ideias. Penso que devemos caminhar para dar uma direção nesta formação. Hoje buscamos formar jogadores que saibam interpretar o jogo, com menor interferência do treinador, pois não há como interferir muito durante os 90 minutos. Não podemos tirar a liberdade, capacidade e naturalidade que o jogador precisa ter dentro de campo”, ressaltou.

Apenas dois brasileiros compareceram ao evento na Conmebol (Foto: Reprodução)

Tiago Nunes falou pouco depois e citou as diferenças no calendário futebolístico dos países sul-americanos como uma das maiores dificuldades. “Há um número de jogos excessivos para trabalharmos e, consequentemente, a qualidade acaba caindo. Talvez com um calendário mais próximo poderemos facilitar as circunstâncias que temos encontrado atualmente”.

O treinador ainda fez uma autocrítica, ao dizer que os treinadores estão querendo controlar muito o jogo e que é preciso devolvê-lo aos jogadores. “Precisamos ensinar, mas ensinar compartilhando aos jogadores”, declarou Tiago Nunes.

Os treinadores também puderam fazer apontamentos e sugestões sobre a atual situação do futebol sul-americano. Jorge Almirón, do San Lorenzo, criticou a situação de alguns gramados e pediu melhorias. Já as críticas de Miguel Russo, do Alianza Lima, do Peru, foram sobre a logística das equipes como visitantes.

Atual treinador do Jorge Wilstermann, da Bolívia, Miguel Ángel Portugal pediu punições mais severas em casos de discriminação por parte dos torcedores. Na última rodada do Campeonato Boliviano, o brasileiro Serginho sofreu insultos racistas e abandonou a partida.

Ainda no evento, Marcelo Gallardo, treinador do River Plate, foi premiado pela Conmebol como o treinador campeão de 2018, já que conquistou o título da Libertadores com a equipe argentina.