Futebol Internacional

Ex-Manchester United pede punições mais duras para atos de racismo no futebol

São Paulo , SP
27/03/2019 13:00:07

Em: Eliminatórias Eurocopa, Futebol, Futebol Inglês, Futebol Internacional, Inglaterra, Notícias
Dwight Yorke jogou no Manchester United entre 1998 e 2002 (Foto: Jonathan Nackstrand/AFP)

Após o caso de racismo de alguns torcedores de Montenegro contra jogadores negros da Inglaterra, na partida da última segunda-feira pelas Eliminatórias da Eurocopa, o ex-jogador do Manchester United, Dwight Yorke cobrou punições duras aos envolvidos. Para ele, as multas não são a melhor forma para acabar com o preconceito no esporte.

“Eu acho que uma multa não é o suficiente. Acho que evoluímos ao longo dos anos no assunto racismo, mas com certeza ele está voltando para o esporte”, salientou Yorke.

De acordo com comunicado da Uefa, divulgado na última terça-feira, o caso será estudado pelo Comitê de Controle, Ética e Disciplina e a decisão será anunciada no próximo dia 16 de maio.

Veja também: Uefa abre processo disciplinar contra Montenegro por gritos racistas

O ex-atacante, que jogou no Aston Villa e Manchester United, acredita que esses atos não podem continuar no futebol e que a melhor forma de erradicá-los seria com perda de pontos e banimento dos envolvidos, como nos casos de jogadores pegos no antidoping.

“É algo que temos que erradicar do nosso esporte, e a única forma de fazer isso é tomando decisões difíceis. Eu acho que quem está no comando deve tomar medidas muito, muito difíceis. Vimos que as multas não são suficientes”, defendeu.