Futebol Internacional/Campeonato Espanhol

Xavi defende Messi: “Quem não vai bem com Leo não serve para o futebol”

GazetaEsportiva.net - Barcelona , - Espanha
20/01/2015 09:47:00

Em: Campeonatos, Futebol, Futebol Espanhol, Futebol Internacional

Jogador que mais atuou na Liga dos Campeões, igualando os números do ex-jogador Ryan Giggs, com 151 atuações, Xavi é recordista e capitão pelo Barcelona. No papel de líder do elenco, o espanhol foi às mídias espanholas para falar em prol de Lionel Messi que, além dos costumeiros elogios, tem, recentemente, sido alvo de provocações, críticas e polêmicas. Antes adorado pelos blaugranas e desprezado pelos adversários, Messi não tem despertado ira só dos oponentes.

Recentemente, o ex-meia Luis Figo, compatriota de Cristiano Ronaldo e símbolo da “geração galáctica” do Real Madrid, que marcou época nos anos 2000, criticou Messi e a atual rivalidade com CR7 que domina o mundo da bola, garantindo que, nos seus tempos de jogador, fazia parceria com jogadores de melhor qualidade – como Zidane e Ronaldo, no Real Madrid, e Rui Costa e Pauleta na seleção portuguesa.

Contrariado com as palavras de Figo, Xavi se sentiu no direito de defender o companheiro de equipe. “Quem não consegue se associar bem com Leo (Messi) dentro de campo, definitivamente, não serve para o futebol”, comentou o camisa 6, rebatendo a crítica do ex-atleta lusitano. Mesmo aposentado da seleção espanhola, decisão tomada após o Mundial do Brasil, o meio-campista relembrou algumas passagens pela Roja para elencar o melhor técnico de sua carreira: Luis Aragonés.

Incomodado com as declarações de Figo, Xavi incorpora papel de líder e defende capacidade de Messi
Incomodado com as declarações de Figo, Xavi incorpora papel de líder e defende capacidade de Messi – Credito: Divulgação

Aragonés dirigiu a Espanha entre 2004 e 2008 e foi pioneiro no processo de formação da equipe que, anos depois, se tornaria bicampeã da Eurocopa e campeã do mundo mudando, inclusive, a forma de se enxergar o futebol, alinhando tática e técnica em perfeita harmonia. Xavi, inclusive, compartilhou a primeira conquista com o mentor: a Eurocopa de 2008. “Aprendi com todos, mas teve um que me marcou muito, sobretudo, a nível pessoal, que foi o Luis Aragonés”, relembrou o jogador.

Após assumir que as perspectivas futuras são se aposentar no Barcelona e iniciar a carreira de técnico, preferivelmente, na base azul-grená, Xavi admite que, à curto prazo, o maior objetivo é sair vitorioso do confronto contra o Manchester City, pelas oitavas de final da Liga dos Campeões, jogo que acontece em meados de fevereiro. “A partir de agora só tem cruzamentos difíceis na Champions, e o nosso, contra o City, é muito complicado”, garantiu Xavi, que participou da eliminação dos ingleses na temporada passada.