COPA DO MUNDO 2018 RÚSSIA
Seleção iraniana comemora vaga para Copa do Mundo assegurada (Foto: ATTA KENARE/AFP PHOTO)

O Irã garantiu sua classificação para a Copa do Mundo de 2018 nesta segunda-feira. A garantia veio de maneira antecipada após a equipe conseguir vencer o Uzbequistão pelo placar de 2 a 0 pela antepenúltima rodada das Eliminatórias Asiáticas.

Os gols iranianos foram marcados por Sardar Azmoun, aos 23 minutos do primeiro tempo, e Mehdi Taremi, aos 43 do segundo. Os três pontos conquistados neste início de semana faz com que o país chegue aos 20 e fique oito pontos a frente do Uzbequistão, restando apenas duas rodadas a serem disputadas.

As Eliminatórias Asiáticas classificarão de maneira direta quatro seleções para a Copa do Mundo. Pelo Grupo A, Irã já assegurou a sua classificação e apenas assiste a luta pela segunda fase, que envolve Coréia do Sul, que soma 13 pontos em sete jogos e Uzbequistão que acumula 12 pontos com oito partidas disputadas. Já pelo Grupo B, Japão e Arábia Saudita e Austrália somam 16 pontos e brigam acirradamente pelas duas vagas diretas.

Além da seleção iraniana, a Seleção Brasileira também já assegurou sua vaga por meio das Eliminatórias. Além das duas, a Rússia já possui sua participação garantida por ser o país sede do torneio que acontece no ano que vem.

 



Jogando em Dublin, no Estádio Aviva, a Irlanda recebeu a seleção da Áustria pela sexta rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018 e ficou no empate em 1 a 1. A equipe visitante saiu na frente com bela jogada, mas os donos da casa empataram na segunda etapa e chegaram a virar, mas o gol de Duffy foi anulado por falta.

Com o resultado, a Irlanda assumiu a liderança provisória do grupo D, com 12 pontos conquistados, um a mais que a Sérvia, que tem um jogo a menos. A equipe eslava ainda encara o País de Gales encerrando a rodada da chave. Já a Áustria segue na terceira posição, com oito tentos.

Gol da Áustria foi marcado no primeiro tempo (Foto: Paul FAITH/AFP)

O primeiro gol saiu aos 31 do primeiro tempo em bela jogada ensaiada de escanteio. Pelo lado esquerdo, Alaba bateu rasteiro e dois jogadores deixaram a bola passar entre as pernas. Na altura do pênalti, Hinteregger chutou no cantinho e abriu o placar.

Já no segundo minuto da etapa complementar, Duffy subiu alto para cabecear, mas mandou à esquerda do gol austríaco. Na sequência, Alaba recebeu dentro da área e quase marcou o segundo de sua equipe.

O goleiro austríaco Heinz Lindner mostrou ao que veio aos 29, defendendo perigosa cabeçada de Wesley Hoolahan a meia altura no lado esquerdo da meta.

Depois de muito tentar e deixar sua defesa exposta, a Irlanda chegou ao gol de empate. Em um raro contra-ataque, o capitão Jonathan Walters disputou ombro a ombro com Dragovic, deixou o adversário no chão e chutou forte no canto de Lindner. Tudo igual.

Um minuto depois, Lidner fez uma defesa e a bola subiu. Na queda, Duffy escorou de cabeça e balançou as redes, mas o juiz mandou parar o lance por falta do atacante irlandês.

Brigando pelas últimas posições do grupo, a Geórgia conquistou um bom resultado jogando fora de casa contra a Moldávia. Após os donos da casa abrirem dois a zero no primeiro tempo com Ginsari e Dedov, os georgianos buscaram o empate. Merebashvili e Kazaishvili marcaram os tentos em quatro minutos e garantiram a Geórgia na penúltima colocação da chave, um ponto àfrente da Moldávia.

No grupo I, a Ucrânia venceu a Finlândia fora de casa por 2 a 1 e assumiu a vice-liderança provisória do conjunto. Konoplyanka e Besedin marcaram para os visitantes, enquanto Pohjanpalo descontou para os finlandeses, que seguem na penúltima posição com apenas um tento conquistado.



Aleksander Ceferin acredita nos britânicos como uma sede adequada para a Copa – Foto: AFP/JAVIER SORIANO

Com o Catar definido como sede para a Copa do Mundo de 2022 e a América do Norte sendo o provável destino da competição em 2026, a edição de 2030 ainda se encontra em aberto para pretendentes que sirvam como sede do maior torneio futebolístico do planeta. E a Inglaterra seria o país a ganhar essa disputa, no que depender do presidente da Uefa, o esloveno Aleksander Ceferin.

Segundo o dirigente, após passagens por outros continentes, seria a vez de a Europa sediar a competição. Uma Copa na Inglaterra levaria o país a ser novamente sede após a edição de 1966, em que os britânicos conseguiram levar o título.

“Para mim, eles são absolutamente capazes de sediar, de um ponto de vista organizacional e de infraestrutura. Claro, é uma decisão não só da Federação do país, mas do governo e outros também. Mas vocês sabem de tudo sobre o futebol inglês e britânico, e como eles merecem ter uma Copa do Mundo no futuro próximo”, afirmou Ceferin.

Como líder da entidade máxima do futebol europeu, o presidente garantiu que, caso a Federação Inglesa decida tentar sediar a Copa de 2030, receberá seu total apoio.

 

“Eu não sei quanto de encorajamento eles precisam, mas eles são capazes de organizar a Copa do Mundo, tenho certeza. Essa é uma decisão da Federação e se eles decidirem ir, nós vamos apoiá-los fortemente”, concluiu.

 



Foram definidas todas as oito seleções que seguem vivas na Copa do Mundo sub-20 de futebol, sediada na Coreia. Nesta quinta-feira, no clássico mundial, a França venceu a Itália por 2 a 1 e avançou na competição. México e Estados Unidos também se garantiram nas quartas.

Com clima de rivalidade grande, a Itália saiu na frente no confronto com gol de Orsolini aos 27 do primeiro tempo. Augustin, de pênalti, empatou o marcador ainda na primeira etapa, aos 37. Já nos quarenta e cinco minutos finais, Panico marcou novamente para a Azurra.

A Itália segue na briga pelo Mundial sub-20 (Foto: KIM DOO-HO/AFP)

Agora nas quartas, o time tetracampeão mundial no profissional irá enfrentar a Zâmbia, que foi zebra na Coreia e eliminou a Alemanha por 4 a 3 em jogo com direito a prorrogação.

Quem também não obteve uma classificação fácil foi o México. Jogando contra a forte seleção do Senegal, os norte-americanos fizeram uma partida disputada e saíram vencedores com um tento salvador de Cisneros aos 44 do segundo tempo. A equipe agora encara a Inglaterra na próxima fase.

Já os Estados Unidos conquistaram a classificação com facilidade. Jogando contra a Nova Zelândia, o time comandado por Tab Ramos foi ao intervalo vencendo por 1 a 0, gol de Sargent. Nos 45 minutos finais, contudo, a equipe jogou mais solta e marcou mais cinco tentos: Ebobisse (aos 19 minutos), Lennon (20), Glad (31), Trusty (39) e Kunga (48) marcaram. O próximo adversário será a Venezuela.

Confira todos os confrontos das quartas de final:

Domingo (04 de junho)

Portugal x Uruguai
Venezuela x Estados Unidos

Segunda-feira (05 de junho)

Itália x Zâmbia
México x Inglaterra



Os escândalos de corrupção em Brasília não se limitam apenas ao Congresso. Nesta terça-feira a Polícia Federal prendeu os ex-governadores do Distrito Federal José Roberto Arruda (PR) e Agnelo Queiroz (PT), além do ex-vice-governador Tadeu Filippelli (PMDB), atual assessor especial de Michel Temer, acusados de superfaturamento na reforma do estádio Mané Garrincha para a Copa do Mundo de 2014.

A ação faz parte da Operação Panatenaico, nome que faz alusão ao estádio da Grécia antiga que abrigou competições anteriores às Olimpíadas. Baseando-se nos depoimentos de executivos da construtora Andrade Gutierrez, responsável pela obra do Mané Garrincha, a PF crê em um superfaturamento de R$ 900 milhões. Inicialmente orçada em R$ 600 milhões, a reforma foi finalizada com um custo total de R$ 1,5 bilhão.

As revelações feitas pela alta cúpula da Andrade Gutierrez estão ligadas ao acordo de delação premiada aos investigadores da Operação Lava Jato. Foram expedidos 15 mandados de busca e apreensão, dez de prisão temporária e outras três conduções coercitivas a serem cumpridas em Brasília e nas regiões próximas à capital federal.

Estádio Mané Garrincha teria sido superfaturado em R$ 900 milhões (Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press)

Segundo as informações fornecidas pelos executivos da Andrade Gutierrez, a licitação para a reforma do Mané Garrinha foi fraudada. A construtora, juntamente com a Via Engenharia, que fazia parte do consórcio, teria pago propina ao governador do Distrito Federal da época José Roberto Arruda o sucesso Agnelo Queiroz. O ex-vice-governador Tadeu Filippelli também foi beneficiado.

Além da prisão imediata dos envolvidos, o Ministério Público também ordenou a indisponibilidade dos bens dos investigados até o limite de R$ 60 milhões e o bloqueio dos bens ativos da Via Engenharia até o limite de R$ 450 milhões. O juiz Vallisney de Souza Oliveira da 10ª Vara Federal de Brasília autorizou o bloqueio de R$ 10 milhões de Arruda, R$ 10 milhões de Queiroz e R$ 6 milhões de Filippelli.

Antes do acordo de delação dos executivos da Andrade Gutierrez, já havia a suspeita de corrupção envolvendo as obras do Mané Garrinha pelo fato de o BNDES não ter financiado a reforma do estádio, ao contrário do que ocorreu em outras arenas para a Copa do Mundo. Ao invés disso, foi a Terracap quem bancou os investimentos de uma das sedes do Mundial, ainda que a empresa pública não tenha sido criada para esse propósito – a Terracap é responsável por gerir o patrimônio público de Brasília.



Prestes a comemorar um ano à frente da Seleção Brasileira, a se completar no dia 20 de junho, Tite virou praticamente unanimidade entre os brasileiros – muito por conta da transformação da equipe canarinha em tão pouco tempo. Com isso, e em meio ao cenário político desastroso que o país vive, acentuado nos últimos dias, surgiu a brincadeira de que o próprio deveria assumir a Presidência da República.

Logo após convocar o Brasil para a próxima data Fifa, com uma lista recheada de novidades, o técnico conversou com a imprensa. Perguntado sobre a brincadeira que segue, principalmente, nas redes sociais, ele mudou o tom de voz para explicar como lida com este assédio.

Tite (Foto: Pedro Martins/MoWA Press)

Sisudo, sério, e visivelmente desconfortável, ele começou: “É uma brincadeira. Mas é uma brincadeira com algo muito sério. É que eu não tenho o mínimo de condição talvez até de brincar com ela, porque é uma responsabilidade muito grande”, disse. Em seguida, mais sereno e abrindo um sorriso, completou: “Mas vejo como uma brincadeira”.

Com a garantia de que estará na Copa do Mundo da Rússia de 2018, a comissão técnica brasileira aproveita para rodar os jogadores, testar novas peças. Ainda com 100% de aproveitamento sob o comando de Tite, a Seleção faz amistosos com Argentina e Austrália em Melbourne, nos dias 9 e 13 de junho, respectivamente.



Diego Alves, David Luiz, Jemerson, Rodrigo Caio, Rafinha, Alex Sandro, Rodriguinho. São muitas as novidades, e tem mais, na convocação de Tite para a próxima data Fifa, onde a Seleção faz amistosos com Argentina e Austrália. Na coletiva concedida após anunciar os atletas, o técnico lembrou da importância da oportunidade que estes jogadores ganham.

“Oportunidades não só de convocação, mas de colocá-los em jogo. Porque uma avaliação de um profissional é de treinamentos, de sequência e de jogos também. É uma oportunidade que nós criamos de colocarmos os atletas para terem enfrentamento de alto nível”, disse Tite.

Tite exalta competitividade e lembra de Diego na coletiva à imprensa (Foto: Pedro Martins/MoWA Press)

Os jogadores que mais chamaram a atenção foram David Luiz e Rodriguinho. O primeiro, pela volta após o trauma de 2014: na Copa do Mundo da ocasião, o zagueiro foi considerado um dos vilões na vexatória derrota para a Alemanha, no Mineirão. Já o segundo desfruta de um cenário totalmente diferente, surpreendendo as expectativas ao ser convocado.

“Se o Bielsa estivesse aqui, ele iria falar que é um jogador polifuncional. Eu coloco de uma forma mais simples, jogador versátil. Ele deve ter mais de 20 jogos importantes, decisivos jogando como primeiro meio-campista. Ou como um defensor, assim como Rodrigo Caio é. Ele tem esta versatilidade de utilização. Campeão inglês, retomou o alto nível. Merece a convocação”, pontuou sobre David Luiz.

Em relação a Rodriguinho, além de elogiar o meia Tite ressaltou a competitividade da Seleção, a briga por um espaço na equipe.

“Rodriguinho, na apresentação, no jogo que nós tivemos, foi um dos destaques contra a Colômbia. Foi um dos destaques do Campeonato Paulista. Ele concorria com o Diego, e ia ser uma concorrência boa. Eu procuro sempre colocar e deixo isto muito claro. Os atletas devem concorrer com lealdade. Quanto mais nível técnico, olhe para o lado e vai ter mais atletas de alto nível jogando. E produzam mais. Só sejam leais. E compete a nós, enquanto comissão técnica, direcionar este trabalho. Mas que esta competição deva existir, ela eleva nível técnico”, afirmou o treinador.

Rafinha, lateral do Bayern de Munique que havia rejeitado um convite à Seleção tempos atrás, e Jemerson, zagueiro campeão pelo Monaco, também foram citados pelo comandante: “O Rafinha não tinha sido convocado, e a gente acrescenta, um jogador que tem 135 jogos, campeão alemão. Jemerson é campeão francês e semifinalista da Champions. Nós tivemos acompanhando in loco seu desempenho. Tem todas as credenciais para estar [entre os convocados]”, assegurou.

Alex Sandro é o único atleta que disputará a final da Liga dos Campeões  e foi chamado por Tite – os outros foram poupados. Tite, porém, destacou a boa fase do lateral esquerdo: “Fez todo um campeonato, e aí tenho números, defesa menos vazada. E está na final, fazendo uma grande Champions. À mercê de ser campeão italiano, [título] bem encaminhado, campeão da Copa da Itália, então o credencia”, finalizou.



A convocação de Tite para a próxima data Fifa, assim como se esperava, nesta sexta-feira, foi recheada de novidades. Dentre os atletas ausentes, destaque para Neymar e os laterais absolutos, Marcelo e Daniel Alves, que vivem ambos grande momento. A comissão técnica, logo após o anúncio, explicou o porquê.

“Levando em consideração o aspecto saúde, eu não posso colocar em risco. É irresponsabilidade de uma entidade toda. É responsabilidade de seu técnico não expor os atletas a uma situação importante que possa causar um prejuízo maior em termos de saúde”, afirmou Tite em relação às importantes ausências.

Fábio Mahseredjian, preparador físico da Seleção, esteve ao lado de Tite para explicar ausências importantes (Foto: Pedro Martins/MoWA Press)

Em seguida, ainda sobre o assunto, o preparar físico da Seleção Brasileira entrou: “Vale a pena ressaltar que o Neymar desde 2013 não tem uma interrupção total. Foi a Copa das Confederações em 2013, Copa do Mundo 2014, [Copa] América 2015 e Olimpíada 2016. Então ele necessita de uma interrupção para que possa estar em plenas condições físicas para 2018 [Copa da Rússia]. Nós temos esta preocupação, volto a dizer, com a saúde do atleta, por isso levamos muito este aspecto em consideração”, ressaltou Fábio Mahseredjian.

Além do desgaste físico, o cansaço mental influenciou na escolha dos jogadores. Inclusive por isso Tite preferiu, com exceção de Alex Sandro, poupar os atletas que disputarão a final da Liga dos Campeões: Marcelo e Casemiro pelo Real Madrid e Dani Alves pela Juventus.

“Outro aspecto é o emocional. Ele nos absorve, nos drena. Se a gente pegar atletas que estão fazendo a final de Champions, final da Liga deles, a adrenalina está a milhão todo dia. E naturalmente você precisa de um descanso também mental. Aí vamos para jogo com alto nível de enfrentamento, até porque não existe jogos amistosos em clássicos, não existe jogo amistoso contra a Argentina. É jogo valendo”, assegurou o treinador.

A pedido do comandante, Fábio Mahseredjian complementou: “Correto. Você atua o ano todo sob pressão. Uma pressão que todo mundo deve ter. O nível de estresse não pode ser nem baixo nem tão elevado. Agora, evidentemente, com a sequência de jogos do ano, e jogos decisivos, como nossos atletas têm, por jogar nas maiores marcas do mundo, é importante que tenham uma pausa, uma interrupção, para que possam descansar não só o corpo, mas a mente também”, finalizou.



Apesar da Copa do Mundo do Catar ser apenas em 2022, o país do Oriente Médio já entregou o primeiro estádio para o evento. A Federação de Futebol do Catar anunciou que as obras de reconstrução do Estádio Internacional Khalifa, em Doha, foram concluídas em tempo recorde.

O primeiro estádio pronto que receberá jogos do Mundial de 2022 será inaugurado mais de cinco anos antes do começo do torneio no dia 21 de novembro. A primeira partida será a final da Copa Emir na sexta-feira. A instalação também receberá a Copa do Golfo em dezembro.

Estádio será inaugurado na sexta-feira (Foto: Karim Jaafar/AFP)

“A finalização do primeiro estádio para a Copa do Mundo de 2022 é um feito muito importante para o Catar e é reflexo do nosso compromisso de entregar todos os estádios que nos comprometemos entregar com muita antecedência”, afirmou H.E. Hassan Al Thawadi, Secretário Geral do Comitê Supremo de Entrega e Legado.

Leia mais: Klinsmann revela torcida para Messi vencer a Copa do Mundo de 2018

O estádio em Doha foi objeto de diversas obras de modernização para permitir que ele fique dentro dos padrões exigidos pela Fifa e possa receber a Copa do Mundo de 2022, inclusive uma das quartas de final. Dentre das novidades na instalação estão um sistema de refrigeração para permitir que o ambiente fique em temperatura agradável para os jogadores e torcedores durante o ano inteiro e um museu esportivo.

Além disso, com a reconstrução, o estádio passará a ter uma capacidade de mais de 40 mil torcedores e toda a arquibancada é coberta por um telhado que, contando a estrutura de sustentação, pesa quatro mil toneladas.



Campeão mundial com a seleção da Alemanha em 1990, o ex-treinador da Alemanha e dos Estados Unidos, Jurgen Klinsmann, já tem um “favorito” para o Mundial de 2018, sediado na Rússia. Para o alemão, o craque Lionel Messi merece vencer uma Copa com a Argentina.

“Para Messi só falta ganhar um Mundial. Acredito que ele vai ganhar e talvez aconteça no próximo ano, na Rússia. Quero que Messi ganhe porque ele merece”, afirmou o treinador em entrevista ao site goal.com.

Klinsmann comandou os Estados Unidos na Copa de 2014 (Foto: Nelson Almeida/AFP)

Em 2006, quando treinava a Alemanha durante a Copa do mundo em sua casa, Klinsmann eliminou a Argentina de Messi nas quartas de final, nos pênaltis, por 4 a 2. O jogador do Barcelona, então com 21 anos, surgia como nova promessa argentina e pouco atuou na Copa.

“Admiro Messi, sempre o admirei, assim como a Maradona, contra quem joguei muitas vezes. Era um artista dentro do campo, sabia sempre o que fazer, mesmo antes de receber a bola”, acrescentou o ex-atacante, que enfrentou Maradona na grande final da Copa de 1990, vencida pela Alemanha por 1 a 0 com gol de pênalti de Brehme, já aos 40 do segundo tempo.

“Messi é diferente, é um perfeccionista. Vejo-o como um personagem fantástico, porque sempre foi humilde e é um jogador incrível”, completou Klinsmann, demonstrando toda sua admiração pelo camisa 10 da albiceleste.

Depois de assumir o comando técnico dos Estados Unidos em 2011, Klinsmann foi demitido em 2016, após duas derrotas no hexagonal final das Eliminatórias da América Central e do Norte para a Copa do Mundo de 2018.