Loss celebra ciclo inédito e espera convite de Carille: "Estou ansioso"

Tomás Rosolino - São Paulo,SP

25/01/17 | 19:53


O técnico do sub-20 do Corinthians, Osmar Loss, fechou nesta quarta-feira um ciclo invejável no comando das categorias de base do clube. Contratado no segundo semestre de 2013, ele alcançou o segundo título de Copa São Paulo de Futebol Júnior em quatro finais disputadas de forma consecutiva, feito inédito na história do torneio. Contente com o triunfo por 2 a 1 sobre o Batatais, no estádio do Pacaembu, ele admitiu que agora espera ser chamado pelo técnico Fábio Carille para auxiliá-lo no profissional.

"É gratificante a gente poder, em quatro competições, chegar a quatro decisões. Já era o maior vencedor, agora chegamos a quatro finais seguidas, algo que acho difícil de repetir porque é uma competição muito difícil. Despedida ainda não é porque não tem nada de convite oficial. Mas a minha carreira sempre foi pautada em chegar ao profissional. Admito que já respondi tanto sobre isso que estou ansioso para que o convite chegue logo", comentou o treinador.

Além das duas Copinhas (venceu a final de 2015, 1 a 0 no Botafogo, além de perder por 2 a 1 para o Santos, em 2014, e nos pênaltis para o Flamengo, em 2016), Loss também levantou o título de campeão brasileiro sub-20, em 2014, e foi vice-campeão do mesmo torneio no ano passado. Agora, na sua avaliação, é o momento de chegar a um novo patamar dentro do próprio Corinthians.

Mais vídeos em videos.gazetaesportiva.com

"Eu tenho 21 anos trabalhando com o futebol já. Se eu ficar visualizando o futuro longo, conviver com vestiário do profissional, com aqueles que já conquistaram seu espaço, acho que é um ponto fundamental para a minha evolução. Aqui estão todos buscando seu espaço ainda, diferente dos que estão lá. É óbvio que eu tenho esse interesse", observou, sem determinar quais atletas podem fazer esse mesmo caminho.

"Efetivamente não tem nada definido. O Fábio Carille está há oito anos fazendo essa interligação. A gente conversa, tem melhorado esse processo há dois anos, mas não definimos isso. Eles voltaram só depois, quando estavam aqui nós estávamos em Taubaté, então falamos pouco disso. Já tinha Mantuan e Carlinhos, que desceram para jogar a Copinha, mas o resto não sei. Posso dizer que o Carille foi o que mais esteve presente com a base em todos esses anos e vai saber quem subir", avaliou.

Depois de deixar o futuro um pouco de lado para comemorar o título, enquanto seus jogadores ouviam diversos funs no vestiário para celebrar a décima taça de Copinha da história do Timão (1969, 1970, 1995, 1999, 2004, 2005, 2009, 2012, 2015 e 2017), Loss assegurou que não esperava vida fácil diante do Batatais.

"Eu esperava tanta dificuldade, sim. Nosso gol demorou a sair, logo que a gente fez o gol, a gente fez o segundo. Se você comparar, na semifinal o Paulista fez antes, aí teve caminho aberto para fazer 5 a 1. A gente sabia que o espaço seria reduzido. Batatais se atirava na frente da bola para evitar, se dedicava, mas a gente esperava que o gol saísse mais cedo. Tivemos muita dificuldade para furar esse bloqueio do Batatais, que, para mim, foi muito bem no jogo", concluiu o treinador.

Observado de perto pelos diretores Alessandro e Flávio Adauto, Loss deve ser chamado para conversar ainda nesta semana, ajudando Carille a trabalhar com o restante do elenco. A função seria semelhante à desempenhada pelo próprio Carille até sua efetivação no cargo, em dezembro. Além de Loss, Leandro Cuca, ex-companheiro de Carille na época de jogador, também comporá a comissão técnica.

Deixe seu comentário