Rosenberg torce por rebaixamento do Tricolor e alfineta Renato Gaúcho

André Garda* - São Paulo,SP

17-08-2017 20:00:24

Luís Paulo Rosenberg, ex-vice-presidente do Corinthians, sempre teve o São Paulo como um de seus principais alvos em provocações. Com o Tricolor Paulista brigando para não ser rebaixado pela primeira vez em sua história, o economista de formação não perdoou e cutucou a equipe do Morumbi em entrevista à Gazeta Esportiva.

“(Vejo a fase do São Paulo) com grande alegria. Não vou dar palpite no que eles devem fazer, mas acho que eles vêm fazendo um trabalho muito bom. Isso é o que todo corintiano gostaria”, declarou o ex-diretor durante evento na Insper.

Rosenberg ainda evitou comentar o trabalho feito por Rogério Ceni em sua primeira experiência como treinador, no entanto, ele deixou claro que está torcendo para que o São Paulo continue trilhando um caminho de má gestão e maus resultados esportivos.

“Acho que o corintiano olha o trabalho do Carille e torce para o fracasso do adversário, mas dizer que tenho condição para analisar tecnicamente o trabalho do Rogério Ceni eu não faria isso. Uma coisa é a gente brincar e ter muito prazer no fracasso do adversário, outra é querer palpitar na vida dele. Que o Rogério tenha uma vida muito promissora, de muito sucesso e que o São Paulo continue mantendo firmemente a trajetória atual”.

Além disso, Rosenberg se mostrou empolgado com a fase do Corinthians. “Como torcedor estou muito feliz. O torcedor olha o resultado e o resultado é o melhor da nossa história. Os dirigentes que tem que cuidar das finanças. Estou há cinco anos longe do clube e estou feliz com o desempenho em campo e torcendo para que a gestão tenha muito sucesso”.

O braço direito de Andrés Sanchez ainda aproveitou a boa fase do Timão para provar Renato Gaúcho, técnico do Grêmio que declarou que o alvinegro iria “despencar” no segundo turno. “Enquanto a matemática não confirmar (o título), a gente não acredita nisso, mas está difícil achar um adversário para nos fazer despencar, como disse um técnico. Isso está difícil”, risos.

Especial para a Gazeta Esportiva*

Deixe seu comentário