Gazeta Esportiva

TAS reduz pena de Maria Sharapova para 15 meses

São Paulo, SP

04/10/16 | 10:31 - 04/10/16 | 10:55

Russa permanecerá afastada das quadras, mas apelação rendeu redução da pena (Foto: PETER PARKS/AFP)
Russa permanecerá afastada das quadras, mas apelação rendeu redução da pena (Foto: PETER PARKS/AFP)

Foi anunciado nesta terça-feira, através de um comunicado do TAS, o Tribunal Arbitral do Esporte, uma definição sobre a pena da tenista russa Maria Sharapova, flagrada no doping no início de 2016 e fora de atividade desde que o caso veio a público. Dessa vez, no entanto, a ex- número 1 do mundo pode até comemorar uma decisão menos rígida para sua punição, que foi diminuída.

A última decisão tomada pelo TAS, em junho, havia decretado que Sharapova ficaria dois anos banida de qualquer competição profissional de tênis. A tenista apelou contra decisão, e recebeu a resposta nesta terça de que a sanção foi diminuída para 15 meses.

Como a pena é retroativa, o período em que a russa precisa ficar de fora já passou a valer desde janeiro deste ano, o que já a faz ter completado nove dos 15 meses afastada. O final da pena, por tanto, se dará em março de 2017, e após isso a tenista poderá finalmente voltar para as quadras.

No comunicado em que se anuncia a redução da pena, o órgão declara que “O Painel constatou que a Sra. Sharapova cometeu uma violação da regra de antidoping e que, apesar de não causar nenhuma falha significativa, ela possui um certo grau de culpa, para o qual uma sanção de quinze meses é apropriada”.

Sharapova testou positivo para meldonium em janeiro, durante disputa do Aberto da Austrália, uma substância proibida pelo código antidoping, e em sua apelação chegou a alegar que não fez o uso para melhoria ilícita de seu desempenho. Os resultados da tenista no Grand Slam foram anulados.

Deixe seu comentário