Conteúdo promovido por oddsscanner

cruz

Vão fazer falta? Veja os times que chegam desfalcados para a Copa de 2022

Um dos maiores pesadelos dos atletas são as lesões, ainda mais em ano de Copa do Mundo. Porém, em todo Mundial é inevitável que alguns craques não cheguem 100% e outros sequer tenham condições de convocação. Esse é um dos momentos mais tristes na carreira de um jogador, afinal, é necessário passar por todo o ciclo de 4 anos para ter a chance de ser lembrado por sua seleção novamente, sem garantia de sucesso.

A Copa do Mundo do Catar terá o seu início no próximo dia 20, com o confronto entre os donos da casa contra o Equador. Porém, antes da bola rolar, a lista de lesões já é bem extensa, inclusive com jogadores que prometiam muito para a competição.

Lesões pré-Copa do Mundo

Um dos primeiros nomes confirmados como baixa para a Copa do Mundo foi o lateral-esquerdo Guilherme Arana, do Atlético Mineiro. Figurinha carimbada nas convocações da seleção brasileira, o jogador acabou se lesionando e adiou o sonho de disputar a sua primeira Copa do Mundo.

Ainda no Brasil, outro nome que sonhava com uma oportunidade, mas que acabou se lesionando foi Philippe Coutinho. O jogador não tinha presença confirmada, mas brigava, principalmente, com Everton Ribeiro.

Argentina e Holanda perdem força no meio-campo

A Argentina também sofreu com lesões. Giovani Lo Celso teve que passar por cirurgia após lesão muscular, ficando de fora. Outro grande jogador que não foi convocado por lesão é Georginio Wijnaldum, da Holanda. O meio-campista acabou machucando a tíbia no começo da temporada europeia.

Inglaterra tem problemas na lateral

Na Inglaterra, a lateral sofreu duas baixas. Reece James, do Chelsea, era favorito para assumir a lateral-direita na Copa do Mundo, mas não conseguiu se recuperar de uma lesão no ligamento. Além disso, Ben Chilwell, também do Chelsea, sofreu uma lesão muscular que o tirou da fase de grupos. Dessa forma, o técnico Gareth Southgate optou por não chamar o jogador.

França é campeã das lesões

A seleção francesa é uma das que mais perderam atletas por lesões. No meio-campo, a dupla Paul Pogba e N´Golo Kanté ficou de fora justamente por isso. O jogador da Juventus teve duas lesões seguidas, uma muscular e outra no joelho, enquanto o atleta do Chelsea teve uma série de pequenas lesões, mas com uma mais séria na parte posterior da coxa, próximo a convocação, acabou deixando-o sem condições de jogo.

Na defesa, a baixa é Presnel Kimpembe, do PSG. O jogador é uma peça chave na seleção e foi, inclusive, convocado por Didier Deschamps mesmo lesionado. Como não tinha condições de jogo, ele próprio pediu para sair, dando lugar para Axel Disansi, do Monaco.

Outro nome certo que ficou de fora foi Mike Maignan, goleiro do Milan, que acabou perdendo a chance de ir para a Copa do Mundo graças a uma lesão na panturrilha. Ele, vinha de uma ótima temporada, era uma ameaça para o titular Hugo Lloris.

Por fim, no ataque, a seleção francesa perdeu mais um nome, Christopher Nkuku. Ele chegou a ser convocado e treinar, mas foi justamente em um treinamento que o jogador do RB Leipzig acabou se lesionando, com uma entorse no joelho após dividida com Camavinga. Dessa forma, foi desconvocado e deu lugar para Muani, atacante do Frankfurt.

Mais lesões

Outros atletas de nome que ficaram de fora das convocações por lesões foram Diogo Jota, de Portugal; Jesús Corona, do México; Timo Werner, da Alemanha; e o também alemão Marco Reus, esse já com diversas lesões ao longo da sua carreira. Todos eles tinham a convocação como certa, inclusive, com a tendência de serem titulares em suas respectivas equipes.

Jogadores cortados após convocação

Além do já citado Christopher Nkuku, que estava convocado e acabou se lesionando nos treinamentos, temos outros exemplos de atletas convocados, mas que ficaram de fora na última hora.

Nico González, jogador da Fiorentina, estava convocado pela Argentina. Porém, após lesão muscular no treinamento, acabou sendo cortado, dando lugar para Ángel Correa. A situação foi parecida com Joaquín Correa, cortado após problemas no joelho. Thiago Almada foi convocado.

Porém, o nome de maior impacto nessa situação é o de Sadio Mané. O jogador da seleção de Senegal acabou se lesionando no penúltimo jogo do Bayern de Munique, passando por uma cirurgia, que foi bem-sucedida. Dessa forma, a expectativa é que poderia ter condições de jogo no decorrer do Mundial e foi convocado. Porém, após as primeiras avaliações, já no Catar, os exames confirmaram que a evolução não foi a esperada, sendo necessária mais uma cirurgia.

Lesões podem interferir no desempenho das seleções?

Para o torcedor brasileiro a ausência de Guilherme Arana pode sim ser sentida, afinal, o jogador tinha boas chances de ser o titular. Por outro lado, Coutinho não tinha a convocação garantida e mesmo que estivesse entre os 26 nomes a tendência era de poucos minutos.

Na Argentina, mesmo com três baixas, a mais sentida é a de Lo Celso, que interfere sim no desempenho, mas nada de absurdo, já que os substitutos estão bem. A situação é a mesma de Portugal, sem Diogo Jota, mas com Cristiano Ronaldo e João Félix, e com Georginio Wijnaldum, na Holanda.

A Alemanha também sofre sem Reus e Werner, jogadores que teriam muitos minutos em campo. Agora, quando olhamos para Senegal, a perda de Mané é vista como gigante, pois reduz até mesmo as chances de sua seleção de avançar de fase.

Porém, a maior prejudicada é a França. Perdendo jogadores em todos os setores do campo e alguns titulares, pilares da equipe. A tendência que é os atuais campeões “sintam” bastante. A notícia positiva para os franceses é que a geração é boa, com ótimas reposições, mas é inevitável dizer que o nível cai, principalmente perdendo o seu principal zagueiro e a dupla de volantes, que ditam o ritmo da seleção.

wesley contiero
Wesley Contiero