Mustafá inscreve dono da Crefisa como “plano B” à impugnação de Leila

São Paulo, SP
11/01/2017 16:23:57 — 11/01/2017 16:40:57

Em: Futebol, Palmeiras
20130902 - 183420 - 20130902 - 183420 - Mustafá Contursi, em reuniao no Palmeiras, CCT da Barra Funda, Sao Paulo SP, 02/09/2013, Foto: Fernando Dantas/GazetaPress -
Mustafá aposta no casal de patrocinadores alviverdes como “puxadores de votos” (Foto: Fernando Dantas/GazetaPress)

Líder do grupo político “Palmeiras Forte”, o ex-presidente Mustafá Contursi inscreveu na manhã desta quarta-feira as chapas que concorrerão às eleições por vagas no Conselho Deliberativo do Verdão. Segundo o jornal Folha de S. Paulo, o dono das patrocinadoras Crefisa/FAM, José Roberto Lamacchia, consta entre os candidatos.

Lamacchia será um “plano B” para garantir votos ao “Palmeiras Forte” no caso de impugnação da candidatura de sua mulher e sócia, Leila Pereira. Como a eleição ocorre em sistema proporcional, o casal é visto como um puxador de votos para eleger outros correligionários de Mustafá.

O pedido de impugnação da chapa de Leila foi um dos últimos atos do ex-presidente Paulo Nobre. O dirigente alega ter encontrado irregularidades na ficha de associada da empresária.

Para ser membro do Conselho, ela teria de ser sócia do clube há pelo menos oito anos. Nobre diz que Leila se associou no ano passado e não cumpre o requisito. Já a candidata afirma fazer parte do quadro desde 1996. Em entrevistas, a empresária chamou Nobre de “covarde” por tentar frustrar os seus planos.

A aprovação da candidatura será decidida pelo presidente Maurício Galiotte. Caso o veto à chapa seja mantido, a presença de Lamacchia, associado desde 1955, garantiria ao casal de patrocinadores ao menos uma cadeira no Conselho.

Leila Pereira, presidente da Crefisa, durante exposição do troféu da Copa do Brasil 2015 na Faculdade das Américas (FAM), na Zona Sul da capital paulista.
Leila tenta reverter a decisão do ex-presidente Paulo Nobre de impugnar a candidatura (Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press)

Modificações nas chapas poderão ser feitas até 26 de janeiro. Leila terá os próximos 15 dias para reverter o impasse.

Se aprovar a candidatura, Galiotte irá contra os interesses de Nobre – seu padrinho político. Confirmar a impugnação desagradará a patrocinadora e Mustafá.

O apoio de Mustafá às gestões de Nobre foi um dos motivos que garantiram a paz política dos últimos anos. Além disso, o contrato de patrocínio com a Crefisa/FAM chegará ao fim neste mês. A postura de Galiotte influenciará na forma como as partes discutirão uma extensão do vínculo.

Somados os custos do atacante Lucas Barrios, cujos vencimentos mensais beiram R$ 1 milhão, as patrocinadoras injetaram R$ 78 milhões anuais no Palmeiras. Uma renovação implicaria em um aumento desta quantia. Também passa pela manutenção do vínculo a contratação de um reforço de peso para substituir Gabriel Jesus, vendido ao Manchester City. Na terça-feira, o diretor Alexandre Mattos já esfriou as chegadas de Lucas Pratto e Miguel Borja.

Convocação – O Palmeiras enviou nesta quarta-feira a convocação para os associados votarem na eleição que escolherá 76 novos conselheiros e 15 suplentes para cumprir mandatos de quatro anos. A assembleia geral está marcada para o dia 11 de fevereiro e será realizada entre as 10 e 19 horas (de Brasília), na sede do clube.

(Foto: Divulgação/Palmeiras)
José Roberto Lamacchia (à esq.) concorrerá ao Conselho pelo grupo político de Mustafá (Foto: Divulgação/Palmeiras)