Atlético-MG

Futebol/Atlético-MG

Futebol chinês? Hyuri adverte: “Lá é um pouco desleixado”

Do correspondente Gustavo Aleixo - Belo Horizonte, MG
22/01/2016 16:22:47 — 22/01/2016 17:50:16

Em: Atlético-MG, Bastidores, Futebol, Mercado, Notícias
Na china, Hyuri atuou por dois anos no Beijing Renhe (Divulgação)
Na China, Hyuri atuou por dois anos pelo Beijing Renhe (Divulgação)

Dentro do futebol, é bastante comum jogadores trocarem experiência e perguntarem uns aos outros sobre a estrutura de um clube, bem como as características de um novo destino, uma nova cidade. Pois o atacante Hyuri se coloca como um bom conselheiro para os atletas que seguiram para o futebol chinês neste começo de ano.

O jogador está de volta ao Brasil para defender o Atlético-MG, após ficar dois anos na China, onde atuou pelo Beijing Renhe. Aos próximos “aventureiros” do futebol chinês, Hyuri adverte que os chineses são um tanto quanto desleixados quanto ao futebol e à cobrança por resultados.

“Lá na China joguei em um time de menor expressão. Bem ou mal, a gente se acomoda um pouco, porque a gente desanima um pouco. É uma cultura diferente e não tem uma pessoa que te chama na beira do campo para te incentivar. Lá é um pouco desleixado. Aqui, a partir do primeiro dia no Atlético, já tive vontade de treinar e disputar uma bola”, contou o atacante, que deixa claro que a culinária chinesa será um obstáculo a ser superado pelos brasileiros.

Culinária exótica da China foi um obstáculo para Hyuri, que chegou a experimentar um "espetinho de escorpião" (Arquivo Pessoal)
Culinária exótica da China foi um obstáculo para Hyuri, que se “arriscou” ao experimentar um “espetinho de escorpião” (Arquivo Pessoal)

“O país é um pouco complicado, tenho amigos que vivem bem lá. Me adaptei muito bem ao país. Os primeiros meses foram complicados, mas, no decorrer do ano, já estava bem familiarizado, sabia encontrar as coisas na cidade. A comida é um pouco mais complicada, encontrei um mercado francês e só comprava comida de fora. Mas a comida foi algo complicado mesmo, perdi peso, bastante peso e fiquei magro’, relembrou.

Apesar da cultura diferente e do futebol menos competitivo, Hyuri traz um alento aos novos “desbravadores” do futebol chinês. Segundo o atacante, a experiência na China foi benéfica ao permitir um olhar diferente sobre o futebol, o que lhe proporcionou um crescimento em termos psicológicos e mentais.

“Para minha carreira, digo que foi uma experiência boa. Conheci diversos pontos do futebol que não conhecia aqui. O que voltei melhor para o futebol brasileiro foi na minha parte psicológica, minha parte mental. Estou enxergando o futebol e as oportunidades de outra forma, o que tem sido importante para mim”, avaliou o jogador, que destacou a sua motivação por voltar a treinar e concorrer com atletas de alto nível.

“Fico feliz de ter a oportunidade de brigar por posição com grandes jogadores. Na China, a gente sabe que eles puxam mais para o estrangeiro, mas teve jogos que não fui titular. O ‘disputar posição’ é um algo a mais para você se sentir bem no grupo. Há um bom tempo que não brigo por uma vaga com tanta garra”, acrescentou.

Readaptação e Libertadores – Repatriado pelo Galo, Hyuri ainda busca se readaptar ao futebol brasileiro. Apesar disso, o atacante já deixou uma boa impressão nas vitórias contra o Schalke 04, da Alemanha, e o Corinthians, marcando, neste último jogo, o gol do título atleticano na Florida Cup.

“Cheguei aqui sem saber o que esperar, só sabia que ia treinar com um time muito bom. Fiquei dois anos na China e estou apenas na terceira semana no Atlético. É muito pouco ainda. Pode parecer fácil, porque cheguei e marquei um gol. Mas é complicado. Foram minhas primeiras oportunidades e vou procurar fazer igual ou melhor nas próximas. Passei dois anos na China, mas voltei com a uma cabeça melhor. Vou saber aproveitar muito mais as oportunidades”, colocou o atacante, que reconheceu a ansiedade por disputar a primeira Libertadores da carreira.

“Um pouco sim, mas estou mais ansioso para entrar no ritmo da equipe. A gente sabe a diferença entre o futebol chinês, o brasileiro e o futebol sul-americano. É uma competição que nunca atuei, mas estou me preparando para, quando for preciso, eu estar preparado”, concluiu.

Primeiro gol título de Hyuri pelo Galo garantiu título da Florida Cup ao clube mineiro (Bruno Cantini/CAM)
Primeiro gol título de Hyuri pelo Galo garantiu título da Florida Cup ao clube mineiro (Bruno Cantini/CAM)